O Novo Humano Planetário

Na verdade, a palavra “novo” em “O Novo Humano Planetário” não expressa o conceito geral do texto que escrevo sobre os acontecimentos na era da televisão e da internet, ou seja, dos 42 anos necessários para que o planeta terra pudesse ser visto inteiro diretamente do espaço.

Segundo a história cósmica o humano planetário é híbrido pois, durante esse tempo, ele foi modelado para participar em uma tecnologia transnacional ou planetária. Refiro-me aos aos 42 anos entre 7 de março de 1970 e 21 de dezembro de 2012.

A televisão foi a primeira peça de conexão tecnológica, e a internet veio logo em seguida, então este humano planetário estava inteiramente preparado para exercitar sua vida do planeta Terra, saindo, assim, da sua condição de humano híbrido.

Conexão Híbrida

O propósito desta conexão híbrida, ainda segundo a História Cósmica, foi experimentar a realidade de ser um organismo planetário unificado por um sistema nervoso eletrônico. O propósito inteiro da tecnologia é criar esta sensação de um Ser Planetário virtualmente unificado, porém, ainda muito inconsciente e preso às suas particulares formas de comportamento sectários e paroquiais, até o ponto em que a mudança massiva e critica necessite ocorrer, para sedimentar a percepção de que ele não é televisão ou internet, mas é um Ser Planetário.

A tecnologia serviu e ainda serve ao propósito de conectar o organismo humano para compreender que é um organismo planetário, não a causa da tecnologia como a ciência moderna afirma, e sim porque esta é a sua natureza intrínseca e o seu propósito de existência.

A tecnologia da comunicação digital, redes sociais, o advento da globalização que aproximou pessoas, que antes estavam geometricamente muito distantes, é a de ser o trampolim necessário para a transmutação em busca do Ser Superhumano. Este Ser planetário inconsciente e infectado pelo vírus da contagem gregoriana do tempo, desconhece a sua capacidade de telepatia e de telecinese.

Investimentos x Pobreza

É claro que, pelo momento atual da humanidade planetária, ainda se faz necessário investimentos muito elevados na construção de máquinas, foguetes, satélites, telescópios e estações espaciais que visam explorar o universo, as suas galaxias, as estrelas e outros planetas.

Entretanto, é inconcebível que tais investimentos sejam dispendidos, especialmente pelas nações mais ricas, em detrimento de pessoas e países que passam extremas necessidades básicas de sobrevivência por todo o planeta.

Que Ser humano planetário é esse, que passa ao largo pelas misérias vistas ou sabidas, como bem disse Albert Schweitzer na década de 1950?

Toda essa compreensão é necessária para que o Ser humano planetário adentre a nova fase evolutiva do humano Supermental. Segundo a história cósmica, essa fase é aquela em que o homem entra na consciência genuinamente Cósmica. Então, esse novo Ser é uma espécie de sistema de energia plasmática, que consta de um corpo de carne sangue, genética física. O corpo é como uma ilha para o sistema gerador interno que é essencialmente quadridimensional, porém, tem deságues glandulares tridimensionais que incluem a glândula pineal, a tireóide, o coração, o plexo solar, o fígado, o baço, os órgãos sexuais e o cérebro. De modo que estão correlacionados no nível físico com esses geradores, mas, nenhum que tenha dissecado o Ser humano encontrou esses geradores ou chakras, porque eles estão realmente no corpo quadridimensional, que se encontra dentro da entidade tridimensional.

As origens e significados da vida são as grandes questões da humanidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: