Qual o caminho para revelarmos a Luz ?

por (adaptação das Percepções Semanais / Centro de Estudos da Cabala) / vídeo por  Guilherme Contrucci no canal do youtube/guicontrucci

Aqui temos um pequeno exemplo para ajudá-lo a determinar sua compreensão relativa ao propósito de nossa existência e o caminho para revelar a Luz. Imagine então a seguinte cena: sobre a mesa de um escritório estão R$ 100.000,00 em dinheiro vivo. 

Cenário 1: Uma pessoa passa e vê o dinheiro. Ela verifica se há alguém por perto. Então embolsa o dinheiro e escapa como um bandido. 

Cenário 2: Uma pessoa passa e vê o dinheiro. Ela começa a tremer, cheia de medo ante a perspectiva até de tocar no dinheiro, o qual ela deseja, mas tem medo de ser pega. Deixa o dinheiro onde está e voa do prédio como um coelho assustado.

Cenário 3: Uma pessoa passa e vê o dinheiro. Ela verifica se alguém está olhando. Então ela embolsa o dinheiro e começa a fugir. Aí ela para. Tortura-se por um momento. Então decide não fazer aquilo. Recoloca o dinheiro sobre a mesa. 

Cenário 4: Uma pessoa passa e vê o dinheiro. Pega o dinheiro imediatamente, guarda dentro de uma pasta, tranca a pasta e a leva para as autoridades da segurança. Deixa um bilhete sobre a mesa do escritório dizendo que se alguém perdeu uma soma grande de dinheiro, pode ligar para ele. Se a pessoa for capaz de identificar a soma, ele virá com as chaves da pasta e acompanhará a pessoa até a polícia para devolver o dinheiro.

Qual pessoa revela mais Luz para si mesma e para o nosso mundo? 

Com base nos ensinamentos da Cabala vamos examinar de forma breve cada cenário para encontrar a resposta.

Cenário 1: a pessoa é governada pela sua reatividade e natureza instintiva do desejo de Receber para si mesma, que diz a ela para pegar o dinheiro e correr. Ela simplesmente reage ao seu desejo de ficar com o dinheiro para si. Comportamento reativo não produz Luz. 

Cenário 2: neste caso a pessoa também está meramente reagindo ao medo de ser pega e ao seu instinto natural de ficar amedrontada até com a idéia de roubar algum dinheiro. Deixa o edifício com a mesma natureza com que entrou. Não produz nenhuma Luz.

Cenário 3: essa pessoa inicialmente reage ao seu desejo de pegar o dinheiro. Mas então ela para a reação. Ela a elimina. Indo então, contra todo seu instinto inicial, ele transforma sua natureza e nesse instante devolve o dinheiro. Sua transformação de reativa para proativa revela a medida de Luz espiritual apropriada.

Cenário 4: esta pessoa já está num estado mentalmente proativo em relação a roubar o dinheiro de alguém. Nenhuma mudança de natureza ocorreu. Ela continua a mesma pessoa que era quando entrou na sala pela primeira vez. Seu comportamento, neste caso, não produziu Luz. É claro que essa pessoa ainda pode revelar Luz nesse caso, se após devolver o dinheiro ela não reagir ao seu ego o qual agora diz a ela que pessoa fantástica e honesta ela é. Espiritualmente falando, ela precisa entender que não fez favor nenhum a ninguém, mas a si mesma, criando uma situação de parar sua reação de se orgulhar e ao invés disso, ser mais humilde e agradecer a oportunidade que teve de se comportar bem espiritualmente.

O mais importante a entender é que tudo isso não tem nada a ver com princípios morais, éticos ou altruístas. Isso tem a ver com você – com o que é bom para você, com o que gera Luz espiritual para você. Gostou da publicação? Compartilhe com o mundo:)0 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *