FAKE NEWS e o prejuízo de uma sociedade

FAKE NEWS

Os robôs foram criados em 2013, por ocasião dos blackblocs.

Fortaleceram-se muito para tirar um partido antes das eleições,e potencializaram-se em 2018 por conta das últimas eleições.

Em 2016, um grupo de executivos financeiros jovens esteve na sede do Google no Itaim Bibi em São Paulo, para entender qual é o processo para monetizar seus canais, e tornar as publicações virais, sejam verdadeiras ou falsas.

Segundo os jornalistas Rodrigo Ghedin, Tatiana Dias e Paulo Victor Ribeiro, “o grupo de seis blogueiros políticos se reuniu na sede do Google Brasil no Itaim Bibi, bairro nobre de São Paulo, em julho de 2016. Convidados pela empresa, a maioria saiu de Minas Gerais para receber orientações sobre como aumentar seus ganhos com o AdSense, o programa do Google de “aluguel” de publicidade em sites. No encontro, um funcionário da empresa teria aberto uma planilha com um case de sucesso para inspirá-los: o site de direita O Antagonista, que receberia milhares de dólares com anúncios.

Em seguida, os blogueiros receberam dicas de otimização e sugestões de temas que renderiam mais dinheiro no AdSense.

Embora o Google não tenha sido explícito a esse respeito, o grupo saiu de lá certo de que uma agenda contra o PT e a presidente da República, Dilma Rousseff, era o caminho para ganhar muito dinheiro. Funcionou. Em agosto de 2016, mês seguinte ao encontro, derradeiro para o impeachment, o faturamento de um dos blogs passou de R$25 mil”, dizem os jornalistas.

A criação disso tudo é barata, ou seja, um domínio do Registro.BR + Hospedagem + Criação de Canal no Youtube + Site / Blog;

Isso tudo não custa mais que R$ 40,00 mensais.

Mas a chave do sucesso, o principal, é ter uma web audiência que compartilhe “para todos os seus grupos”, as notícias fabricadas.

Esses soldados do bem, pessoas de boa-fé acham que estão prestando um bom serviço, compartilhando informações importantes.

O Google mostrou para esses executivos que as frase de efeito são fundamentais: ISSO A GLOBO NÃO MOSTRA, ESPALHEM O MÁXIMO POSSÍVEL, VAZOU NA INTERNET, SE VOCÊ É BRASILEIRO COMPARTILHE, URGENTE: REVELADA A VERDADE SOBRE O ESCÂNDALO….,ou ainda O FACEBOOK / TWITTER / YOUTUBE TIRARAM DO AR A NOTICIA, ENTÃO COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS.

Eu digo sempre nos eventos sobre comunicação, que tenho oportunidade de participar, que não são as redes sociais as responsáveis por essa calamidade. Elas são veículos que hospedam conteúdo, e por não serem mídias profissionais de comunicação, salvo pequenas exceções, não se responsabilizam pelo conteúdo.

Em verdade, aquilo que se falava “nos botecos da vida” é público e de fácil acesso. As redes sociais escancararam os verdadeiros valores e visão de mundo, ética e compaixão, cidadania e solidariedade das pessoas.

Meus colegas Tagil Ramos (Twitter, Chiclete e Camisinha) e Conrado Adolpho (Google Marketing) deixaram um ensinamento: O que entra na Web, nunca mais sai.

É por essa razão que o ministro da justiça não determinou ao Telegram (e constitucionalmente poderia tê-lo feito) que mostrasse se, de fato, as suas conversas com os procuradores, eram montagem ou não.

Não há como negar que foram verdadeiras.

Nesse mérito, a sua exposição deve ser condenável por aqueles que a fizeram, entretanto, divulgar prontuário médico, como se está fazendo atualmente, também é crime – o pau que bate em Francisco tem que bater em Chico também.

Portanto, meus caros colegas do Facebook, se nós não nos comportarmos nas redes sociais da mesma maneira que o fazemos na vida presencial, então somos duas personalidades totalmente distintas e desconectadas com a realidade da vida.

Abraços à todos!

Uma resposta para “FAKE NEWS e o prejuízo de uma sociedade”

  1. Every weekend i used to go to see this web page, as i wish for enjoyment, as this this web page conations truly nice funny information too. Jacquenette Tedie Ottavia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *